Fonte: Site Oficial

Em jogo bastante disputado no Mineirão, o Cruzeiro saiu à frente, mas acabou derrotado pelo Palmeiras, por 2 x 1, na noite desta quarta-feira, em jogo que concluiu a 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado contra o líder da competição impede o time celeste de se aproximar da zona de classificação para a Copa Santander Libertadores.

O Cruzeiro segue na 13ª colocação, com 32 pontos ganhos, a dez do Goiás, que encerra o G-4 do Brasileiro com 42. Já o Palmeiras chega aos 47 e abre três pontos de vantagem para o São Paulo na primeira colocação.

O Cruzeiro voltou a contar com Kléber após cinco rodadas de ausência devido a uma pubalgia. O lateral-direito Jonathan e o atacante Wellington Paulista, curados de lesões musculares, ficaram no banco de reservas. O volante Eicarlos ocupou a lateral direita.

O Palmeiras também foi armado no esquema 4-4-2. O volante Edmílson acabou vetado no vestiário por lesão e Jumar foi escalado na cabeça de área do adversário.

A partida foi bastante equilibrada e, além de um adversário bem preparado, o Cruzeiro esbarrou na má atuação do árbitro Evandro Rogério Roman, que não marcou pênaltis em Kléber e Fabrício na primeira etapa. O atacante Thiago Ribeiro abriu o placar, aos 7 min, e Diego Souza empatou, aos 9 min de jogo. Vagner Love fechou a contagem aos 4 min da segunda.

O Cruzeiro não terá muito tempo para lamentar o resultado desta quarta-feira. O time celeste volta a campo já no sábado, às 18h, para encarar o Barueri, fora de casa.

O jogo

Cruzeiro e Palmeiras mostraram por que são duas das melhores equipes brasileiras da atualidade e brindaram o torcedor com um primeiro tempo muito bem disputado. O time celeste teve maior posse de bola e finalizou nove vezes, três delas com precisão. O adversário não abdicou de contra-atacar e chutou quatro vezes, três no rumo correto.

Como time que tomou a iniciativa, o Cruzeiro sofreu mais faltas, 13 nos primeiros 45 minutos – cinco delas no Gladiador Kléber. Já os palmeirenses foram parados sete vezes.

A partida começou quente. Aos 6 min, o primeiro lance polêmico. Kléber teve o calção puxado dentro da área e acabou desequilibrado no momento em tentava executar um cruzamento. Mas Evandro Roman mandou o lance seguir.

A impressão era de que não faria falta, já que, logo aos 7 min, o zagueiro Gil arriscou um lançamento longo, que recebeu um “acréscimo” do volante Henrique, um leve desvio de cabeça. A bola chegou aos pés do atacante Thiago Ribeiro. Ele teve tranquilidade para superar Marcos e chutar no canto direito. Cruzeiro 1 x 0, mas não por muito tempo.

Logo aos 9 min, Diego Souza se encarregou de cobrança de falta na intermediária. O chute saiu forte, com efeito, e enganou o goleiro Fábio, que tinha a visão encoberta por uma barreira celeste com um “enxerto” de atletas adversários. O Palmeiras fazia 1 x 1.

O Cruzeiro não se abalou com o golpe e poderia ter retomado a vantagem aos 16 min, depois que Kléber cobrou lateral com rapidez e o camisa 10 Gilberto acertou cruzamento rasteiro. Fabrício preparava o chute quando teve o pé de apoio atingido por Jumar, de tal modo que precisou de atendimento médico fora de campo. O arremate saiu torto e o árbitro paranaense Evandro Rogério Roman ignorou o pênalti.

Fábio trabalhou bem aos 31 min, quando o colombiano Armero avançou bem pelo lado esquerdo e finalizou para a boa defesa do camisa 1 celeste.

O time celeste mostrou eficiência pelo lado esquerdo, com a dupla Diego Renan-Gilberto, que a cada dia se mostra mais afinada. Após bela troca de passes do ataque celeste, Diego Renan recebeu na área, cortou o defensor e chutou de pé direito. Marcos apareceu bem.

Terminada a primeira etapa, o Cruzeiro desceu para o vestiário certo de que, houvesse um vencedor àquela altura, este vestiria azul. O time celeste retornou sem alterações, enquanto o Palmeiras tinha o zagueiro Maurício na vaga do atacante Robert.

O pênalti não marcado ainda traria desdobramentos na partida. Logo no início do segundo tempo, Fabrício percebeu que não suportaria a dor no tornozelo e joelho esquerdos e pediu substituição. Ele daria lugar a Jonathan, mas ficou um pouco mais porque o volante Marquinhos Paraná sofreu um corte no supercílio e precisou de atendimento médico.

Sem um jogador de combate no meio-campo e outro machucado, o Cruzeiro sofreu a virada aos 4 min. Em contra-ataque rápido, o atacante Vagner Love recebeu passe de Cleiton Xavier, percorreu o campo de ataque até passar por Fábio e fazer Palmeiras 2 x 1. Três minutos depois do gol, Marquinhos Paraná voltou e Jonathan entrou no lugar de Fabrício.

O time celeste ganhou novo alento aos 8 min, quando Armero cometeu falta em Jonathan, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Cinco minutos depois, Adilson Batista sacou Elicarlos e lançou o atacante Guerrón para explorar o lado direito do ataque.

A mudança surtiu efeito e o equatoriano ajudou o Cruzeiro a criar. Aos 25 min, ele rolou a Kléber, que se livrou de um defensor na área e chutou. Marcos espalmou e a bola explodiu na trave direita. No minuto seguinte, Guerrón caiu pela direita e cruzou na área. Leonardo Silva cabeceou como manda o figurino, a bola quicou e passou rente ao ângulo direito.

Os últimos 20 minutos de partida foram disputados sob intensa chuva no Mineirão, o que dificultou as ações do Cruzeiro em campo. Cansado, Kléber foi substituído por Wellington Paulista aos 30 min e o time continuou entregando na busca pelo empate.

O time celeste passou os instantes finais no campo de ataque, lutou, foi valente, teve até Fábio na área em cobrança de escanteio, mas não foi possível superar a defesa do Palmeiras.

Anúncios