Fonte: Justicadesportiva.com.br

A queda de braço entre Cruzeiro e Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD/MG) ainda parece longe do fim. Depois do tribunal aumentar a punição do clube – na perda de três para seis pontos pela escalação irregular do atacante Wellington Paulista na primeira partida do Campeonato Mineiro deste ano –, o departamento jurídico da Raposa entrará com o recurso nesta quinta-feira, dia 25 de fevereiro, para levar o caso ao Pleno do TJD/MG.

O Cruzeiro teme pela continuidade do Campeonato Mineiro e espera que a situação seja resolvida o quanto antes. O diretor jurídico do clube, Gilvan Tavares, acredita que o caso possa chegar até mesmo ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e assim atrapalhar a fase final da competição.

“Queremos abreviar este caso para evitar até mesmo para não paralisar o campeonato. Mas, fatalmente, isto deve chegar ao STJD para ter uma decisão final, e não é isso que queremos”, declarou o dirigente ao site Justicadesportiva.com.br.

Acontece que o caso tornou-se ainda mais complexo após a Primeira Comissão Disciplinar do TJD/MG acolher o embargo da Procuradoria, aumentando a punição de três para seis pontos. O advogado cruzeirense espera que o processo não seja dividido e julgado o mais rápido possível.

“Será melhor se o embargo não correr separado do processo principal. Vamos entrar com o recurso e solicitar que o embargo seja julgado como preliminar”, comentou.

Apesar da preocupação com a continuidade da competição, o Cruzeiro defende os seus direitos e aponta incoerência por parte da Procuradoria e dos auditores da Primeira Comissão. Gilvan explica a decisão em punir o clube em seis pontos.

“Além dos três pontos conquistados com a vitória, eles entenderam que o Cruzeiro deveria perder os três pontos do jogo. Se perdêssemos a partida, só seríamos punidos com a perda de três pontos. Como pode isso?” questiona, antes de prosseguir: “Eles deram uma interpretação diferente ao artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O código passou por reforma para favorecer os clubes, e eles querem prejudicar ainda mais o Cruzeiro”.

Entenda o caso:

O atacante Wellington Paulista foi expulso na última partida do time na edição passada do Mineiro, no empate por 1 a 1 com o rival Atlético/MG, na final da competição, e deveria cumprir a automática na primeira partida de 2010. Porém, o atacante entrou no decorrer do segundo tempo da goleada por 6 a 0 sobre o Uberlândia.

O Cruzeiro foi punido pela Primeira Comissão Disciplinar do TJD/MG da denúncia por escalar o jogador de forma irregular – artigo 214 do CBJD – com a perda de três pontos. O Cruzeiro afirma que a pena do jogador foi convertida em ação social pelo próprio TJD/MG e por isso ele não teria mais nenhuma punição a ser cumprida. A Procuradoria do TJD/MG, não satisfeita com a punição, entrou com um embargo de declaração e a punição ao clube aumentou de três para seis pontos.

Anúncios