A atuação do Cruzeiro na vitória por 2 x 0 sobre o Deportivo Itália, nesta quarta-feira, no Mineirão, foi aprovada pelo técnico Adilson Batista. O comandante celeste avalia que a equipe mostrou superioridade, tocou a bola com qualidade e soube fazer a vantagem que precisava para ficar bem posicionado no grupo 7 da Copa Santander Libertadores.

“Vi um volume de jogo muito bom, o Cruzeiro rodando bem a bola, bem posicionado. Modificamos em função do cartão do Fabinho no segundo tempo e eu achei que melhorou. Tivemos lucidez, trabalhamos e criamos. O Cruzeiro chutou muito mais. Ele tiveram uma chance no finalzinho com o Cásseres, o resto foi bola parada. Gostei”, comentou.

A mudança tática a que se refere Adilson foi o deslocamento do volante Fabinho para a função de líbero na segunda etapa, uma vez que havia recebido o cartão amarelo.

“O Fabinho começou marcando o Urdaneta e nós seguramos o Diego no Blanco, para ter a sobra. Com o cartão, o Fabinho veio aqui no Díaz e aí eu fiquei preocupado. Já no segundo tempo o Fabinho fez o líbero, o Henrique marcou o Urdaneta, o Paraná adiantou, o Thiago tinha liberdade dos dois lados e o Cruzeiro jogou o que a gente sabe que pode”, explicou.

O resultado desta quarta-feira colocou o Cruzeiro provisoriamente como líder do grupo 7 da Libertadores, com sete pontos ganhos e vantagem sobre o Vélez Sarsfield no número de gols pró: oito contra quatro. Os argentinos jogarão em casa na quinta-feira contra o Colo-Colo, que está em terceiro lugar, com quatro pontos ganhos.

O comandante celeste avalia que o Cruzeiro conseguirá a classificação para as oitavas-de-final sem sustos, mesmo que seja em segundo lugar do grupo. Nesta temporada, apenas seis dos oito segundo colocados passarão às oitavas-de-final.

“Hoje nós somos o quinto melhor primeiro. Tem gente vendo fantasma, dizendo que temos que fazer 11 pontos, que não vai dar, é uma preocupação. Isso às vezes acontece, está todo mundo tendo dificuldade. Libertadores tem gente que joga a cada 25 anos. o Cruzeiro está jogando o terceiro ano consecutivo. Não é tão simples assim jogar Libertadores”, disse.

Anúncios