Fonte: Site Oficial

duelo das quartas de final da Copa Santander Libertadores será o sétimo que Cruzeiro e São Paulo travarão por uma fase decisiva de competição nos últimos 40 anos. Acostumados às conquistas, os clubes já se esbarraram em certames como Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Recopa Sul-Americana, Copa Ouro e a própria Libertadores.

O histórico do Cruzeiro é muito bom em tais confrontos. O time celeste saiu vitorioso em quatro e foi eliminado em um (em outro, venceu o jogo, mas não levou o título).

O primeiro embate decisivo foi pelo quadrangular final do Brasileirão de 1973. Com gol de Palhinha, o time celeste levou a melhor e venceu por 1 x 0, no Mineirão, em 17 de fevereiro de 1974. Mas e seguida o Palmeiras somaria pontos e conquistaria o título.

Vinte anos depois, as equipes se esbarraram nas quartas de final da Copa do Brasil. Em 4 de maio, a Raposa venceu no Mineirão, por 2 x 1, gols de Tôto e Boiadeiro, contra um de Cláudio. Na volta, uma semana depois, o empate por 2 x 2 no Morumbi valeu a vaga para o Cruzeiro. Cleison (2) marcou para o time celeste, Elivélton e Douglas para o São Paulo.

Ainda em 1993, novo empate decisivo, desta vez pela Recopa Sul-Americana. Foi a única decisão em que o São Paulo levou a melhor. Após dois empates por 0 x 0, o Cruzeiro perdeu por 4 x 2 na disputa por pênaltis, em 29 de setembro, no Mineirão.

Dois anos depois, Cruzeiro e São Paulo se encontraram nas quartas de final da Supercopa. Como Veles Sarsfield e Independiente desistiram da Copa Ouro, os jogos valeram também pelo outro torneio organizado pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol)

Em 24 de outubro de 1995, o São Paulo abriu o placar com Palhinha e o Cruzeiro teve Rogério, Vanderci, Fabinho e Marcelo Ramos expulsos no primeiro tempo. Ênio Andrade fez as três substituições no intervalo e Luiz Fernando Gomes se machucou, deixando o time celeste com seis homens em campo, o que inviabilizou a continuidade da partida.

A Conmebol manteve o resultado e o jogo de volta foi disputado no Pacaembu, em 2 de novembro. O Cruzeiro venceu por 1 x 0, gol de Dinei, e fez 4 x 1 nos pênaltis, com grande atuação de Dida. Vitória dupla, válida pela Supercopa e pela Copa Ouro.

Cruzeiro e São Paulo fizeram em 2000 uma final memorável na Copa do Brasil. O jogo de ida, em 5 de julho, terminou em 0 x 0 no Morumbi. Apenas quatro dias depois, Marcelinho Paraíba abriu o placar já aos 29 min do segundo tempo e o Cruzeiro virou, com tentos de Fábio Júnior, aos 35 min, e Geovanni, em cobrança de falta aos 46 min, no Mineirão.

Por fim, a mais recente decisão entre os rivais aconteceu nas quartas de final da Libertadores 2009. Em 27 de maio, o Cruzeiro venceu por 2 x 1, no Mineirão, com gols de Leonardo Silva e Zé Carlos, contra um de Washington. No Morumbi, novo triunfo celeste, por 2 x 0, tentos de Henrique e Kleber, valeu a vaga na semifinal.

Anúncios