Fonte: Site Oficial

O empate por 2 x 2 com o Avaí,  na noite deste domingo, no Mineirão, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, mantiveram o bom retrospecto do Cruzeiro contra os catarinenses na história do confronto, que teve início no ano passado. Após saírem perdendo por 2 x 0 no primeiro tempo, os jogadores atribuíram o resultado a conversa com o técnico Adilson Batista, no intervalo.

Em três confrontos na história, o time estrelado conseguiu uma vitória e dois empates. As duas equipes se encontraram pela primeira vez no primeiro turno do Brasileirão do ano passado. O Cruzeiro venceu por 1 x 0, com um gol de pênalti, marcado pelo atacante Zé Carlos.

No segundo turno do Nacional, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, houve empate por 2 x 2, e o Cruzeiro vencia até os 47 min do segundo tempo. Naquela ocasião, os gols da Raposa foram anotados por Leonardo Silva e Fabrício.

O volante Fabrício crê que, pela situação da partida, o resultado foi importante. Ele afirmou que o time acordou depois da bronca do técnico Adilson Batista.

“Infelizmente, queríamos os três pontos hoje (domingo). Mas pela situação, com um a menos, a gente chegou ao empate e acho que criamos muitas oportunidades. Foi bom pela determinação de todo mundo e este um ponto valeu muito”, destacou.

“Alguns jogadores que não estavam rendendo no primeiro tempo, tomaram uma chamada do Adilson (Batista) no intervalo e vieram com tudo no segundo tempo”, completou.

O atacante Thiago Ribeiro concorda com o companheiro e enalteceu a participação do comandante celeste, no importante resultado conquistado neste domingo.

“O primeiro tempo foi complicado, porque jogamos com um a menos e a equipe estava um pouco perdido na marcação. No segundo tempo, o Adilson conversou com a gente para apertamos a marcação lá na frente e por isso conseguimos o empate e poderíamos até ter conseguido a virada”, observou.

Anúncios