Fonte UOL Esporte

Para seguir na luta pelo título da Libertadores, o Cruzeiro precisa – no mínimo – de dois gols de diferença contra o São Paulo nesta quarta, às 21h50m (de Brasília), no Morumbi, pelas quartas de final da competição. Apesar do grande risco de eliminação, o atacante Kleber garante que sua meta para o ano não muda: conquistar um torneio importante.

– Meu sonho vai existir sempre, independente de ser eliminado ou não. Minha maior vontade e desejo é conquistar um título de expressão pelo Cruzeiro. Se não for a Libertadores, temos todas as condições para conquistar o Campeonato Brasileiro. Nosso elenco é praticamente o mesmo e estou muito confiante – disse o jogador à Rádio Globo MG.

Apesar de já falar no Campeonato Brasileiro, Kleber não jogou a toalha. Nem de longe. O Gladiador promete que não faltará luta ao time celeste no Morumbi.

– A gente vai lutar independente da situação. A situação não é boa, é difícil, mas estamos confiantes. É um jogo difícil, sabemos a qualidade do São Paulo, mas vamos buscar o resultado.

No ano passado, também nas quartas de final da Libertadores, Cruzeiro e São Paulo se enfrentaram e a Raposa se classificou com uma vitória por 2 a 0 no Morumbi. Se conseguir repetir o resultado, a vaga para as semifinais será decidida nos pênaltis.

– Nossa equipe tem condição de fazer um jogo como aquele. É uma situação completamente diferente, eles tiveram um jogador expulso no primeiro tempo, agora estamos com uma desvantagem. Não acho que o São Paulo vai jogar pra cima da gente não. Eles vão atacar, mas vão jogar mais precavidos do que o de costume para um time que joga em casa. Se o São Paulo tentar um jogo aberto para cima de nós, pode ficar complicado, eles podem arriscar a classificação – analisou.

Kleber não se intimida com o adversário e nem com a promessa de estádio lotado. O jogador inclusive espera que o time faça um gol no primeiro tempo para deixar a torcida são-paulina apreensiva.

– Com certeza, a casa vai estar cheia. O torcedor do São Paulo é parecido com o do Cruzeiro. Se a gente de repente fizer um gol ali no primeiro tempo, o torcedor pode ficar apreensivo e pegar um pouco no pé. A gente tem que procurar fazer gol no primeiro tempo e botar pressão neles – afirmou o atacante.

Anúncios