You are currently browsing the tag archive for the ‘números’ tag.

Fonte: Globoesporte.com

Numa equipe cheia de bons atacantes como o Cruzeiro e revezamentos constantes entre eles, nada mais natural que uma dupla de frente participar da maioria dos gols celestes no Campeonato Brasileiro. Kléber pode ser a estrela da companhia, mas os números apontam Thiago Ribeiro e Wellington Paulista como o ataque mais eficiente na Toca da Raposa. Juntos, eles participaram de 26 das 41 jogadas decisivas, o que dá um percentual de 63% de efetividade nos tentos cruzeirenses.

– A dupla está funcionando bem, a gente vem conseguindo fazer os gols e ajudar o Cruzeiro a crescer no campeonato. Estou torcendo para que o Wellington se recupere logo para poder retornar ao time – comentou Thiago Ribeiro, ao GLOBOESPORTE.COM, por telefone, lembrando da recente lesão na panturrilha direita do companheiro, que já o deixou fora da última rodada.

Com a expectativa de voltar apenas na próxima quarta-feira, contra o Santo André, Wellington Paulista também não encara o Corinthians, neste domingo. O artilheiro do Cruzeiro na competição, com 11 gols, teve uma participação geral em 37% dos lances que terminaram nas redes adversárias, contando ainda uma assistência. Ele também valorizou a dupla com Thiago, mas sem criar polêmica sobre quem deveria ser titular no ataque.

– Já estamos jogando juntos desde o início do ano. Depois passamos a nos revezar com o Kléber, mas sempre entrando em campo. Conheço bem as características do Thiago e estamos nos completando bem. Temos uma boa média de gols juntos, porém o Cruzeiro não tem uma dupla ideal – afirmou Wellington, também por telefone.

Thiago Ribeiro tem os mesmo 37% de participação com menos gols – seis ao todo – e mais assistências. Foram três passes decisivos, além de seis influências diretas ou indiretas nos gols da Raposa, incluindo um pênalti sofrido na vitória sobre o Internacional, por 3 a 2, no Beira-Rio, que Gilberto converteu para abrir o placar na ocasião.

– Fico feliz por estar podendo ajudar e, quando não for fazendo gols, estou conseguindo ajudar de outras formas dando assistências, iniciando os lances ou sofrendo pênalti – afirmou Thiago.

A opinião do companheiro é compartilhada por Wellington Paulista, que sabe que um atacante precisa estar sempre atento a todos os lances para colaborar com o setor ofensivo, independentemente se ele próprio vai concluir a jogada ou não.

– Mesmo jogando na frente, temos a obrigação de servir os companheiros ou mesmo dar um passe na hora certa para que o lateral fique em condições de cruzar para a área, por exemplo – analisou Wellington.

O gol da vitória por 1 a 0 no clássico mineiro, em que Thiago deu um cruzamento perfeito para o arremate de Wellington Paulista foi lembrado pelo primeiro justamente como um exemplo deste entrosamento entre os dois atletas. Juntos, por sinal, eles estiveram em quatro jogadas, incluindo a da partida diante do Atlético-MG.

– O Wellington é um jogador de referência que favorece o meu estilo de jogo. Eu gosto mais de sair da área, cair pelos lados de campo e ainda tenho a certeza que há sempre um atleta na área para finalizar como aconteceu no clássico contra o Atlético-MG. Ele dá mais liberdade para que eu possa desenvolver o meu futebol – explicou Thiago Ribeiro.

Além dos dois, alguns jogadores ainda se destacam nesta participação nos gols como o volante Fabrício com 27% de efetividade, contando com os seus três tentos. Gilberto, mesmo chegando no meio da competição se fez presente em 24% dos lances, incluindo as cinco vezes em que ele próprio balançou a rede. O lateral Jonathan, por sua vez, colaborou com 22% dos gols celestes.

Anúncios

Fonte: UOL Esporte

A vitória sobre o Grêmio Barueri, na noite de sábado, a 10 do time no atual Brasileirão, reacendeu a esperança do Cruzeiro de ainda conseguir uma vaga à Libertadores do ano que vem. Apesar do sonho cruzeirense ter se mantido, de acordo com os jogadores, a tarefa continua das mais difíceis. No ano passado, o Palmeiras, quarto colocado e que entrou na fase preliminar da competição internacional, somou 65 pontos.

No momento, o Cruzeiro ocupa a 13ª colocação, com 35 pontos, exatamente 30 a menos que a pontuação do Palmeiras, em 2008. Como o time celeste ainda terá 36 pontos a serem disputados, em 12 jogos que faltam, o aproveitamento do técnico Adilson Batista terá de ser de 83,33% para atingir aquela marca.

Esse percentual é muito superior ao que o Cruzeiro obteve até o momento, depois de 26 partidas, que é de 45%. A tarefa celeste passa a ser ainda mais difícil, quando se compara o rendimento da equipe em 2008, quando terminou o Brasileiro em terceiro lugar, com 67 pontos em 114 disputados. Na ocasião, o desempenho foi de 58,77%, igualmente inferior à atual necessidade cruzeirense.

Independente do que os números indicam, os jogadores cruzeirenses não desistem. De acordo com o volante Fabrício, o time está “vivo”. Ele considera que a boa performance longe de casa, nas últimas rodadas, pode dar moral ao Cruzeiro. “Estamos invictos há seis jogos fora de casa. Vamos tentar manter isso e melhorar no Mineirão. Vamos em busca da Libertadores, tem muita coisa para acontecer ainda”, salientou.

A fraca campanha celeste no Mineirão ajuda a explicar a atual classificação cruzeirense e a dificuldade para tentar chegar ao G-4. Em 13 partidas no estádio da Pampulha, na atual edição do Brasileiro, o time cruzeirense venceu apenas cinco jogos, empatou dois e foi derrotado em seis partidas. O aproveitamento celeste como mandante é de 43,58%, muito distante, por exemplo, dos 81,45% obtidos no ano passado.

O goleiro Fábio, por sua vez, lamenta que o Cruzeiro não esteja conseguindo resultados positivos no Mineirão, mas valoriza os pontos conquistados como visitante. Segundo o jogador, uma nova vitória sobre o Avaí, no próximo domingo, em Santa Catarina, será importante para aumentar a confiança para o clássico com o Atlético-MG, em 12 de outubro.

O volante Elicarlos diz que enquanto houver chance de o Cruzeiro seguir em busca da Libertadores, o time irá confiar. Ele lamentou as derrotas para São Paulo e Palmeiras, ambas no Mineirão, por considerar que dois resultados positivos naquelas partidas teriam deixado o Cruzeiro bem perto do G-4. “Estamos confiantes, mas temos de mostrar isso dentro de campo e no dia a dia”, destacou.

Fonte: Site Oficial

Embalado na competição nacional, o Cruzeiro encara o Palmeiras, no próximo dia 23, no Mineirão. E, se depender do retrospecto no Campeonato Brasileiro, a equipe celeste tem bons motivos para acreditar na vitória que o aproximaria dos times que estão na zona de classificação para a Copa Santander Libertadores.

Na competição mais importante do país, o Cruzeiro leva vantagem nos confrontos com o Palmeiras. As duas equipes se enfrentaram 39 vezes, com 15 vitórias estreladas, 11 empates e 13 derrotas. O ataque azul e branco marcou 53 gols e a defesa sofreu 50.

A história das duas equipes remonta a 1920, quando descendentes italianos radicados em Belo Horizonte se uniram para fundar um clube de futebol. Em dezembro daquele ano, eles se espelharam no sucesso do Palestra Itália de São Paulo, fundado em 1914 e, com base nos estatutos do co-irmão, foi fundada em 2 de janeiro de 1921 a Societá Sportiva Palestra Itália.

Os clubes mudaram de nome em 1942, quando o Brasil aderiu à 2ª Guerra Mundial pelo lado dos Aliados (Estados Unidos, União Soviética e Inglaterra) e ficou contra o Eixo, formado por Itália, Alemanha e Japão. Os Palestras foram obrigados a tirar do nome as referências àquele país. Os paulistas adotaram Palmeiras e os mineiros, Cruzeiro.

O primeiro jogo entre os Palestras foi em 18 de maio de 1930, em amistoso vencido pelo Palmeiras, por 4 x 2, no antigo estádio do Barro Preto, em Belo Horizonte. A partir de então, foram disputadas 72 partidas, com 26 vitórias celestes, 27 do Palmeiras e 19 empates. Os mineiros marcaram 102 gols e os paulistas 110.

O rico histórico de decisões entre as duas equipes começou na Taça de Prata de 1970. Cruzeiro e Palmeiras disputaram o quadrangular final da competição. Os paulistas venceram os mineiros por 4 x 2, no Mineirão, e ficaram com o vice-campeonato. O time celeste foi o quarto e o título ficou com o Fluminense.

Em 1973, os times voltaram à fase final do Brasileiro. O Palmeiras levou a melhor no confronto único, venceu por 1 x 0, no Mineirão, e ficou com o título. O Cruzeiro acabou em terceiro lugar.

O Cruzeiro conquistou uma vitória épica sobre o Palmeiras na Copa do Brasil de 1996. Os paulistas tinham um elenco recheado de estrelas, mas o time de Dida, Palhinha, Roberto Gaúcho e Marcelo Ramos levantou a taça. Na primeira partida no Mineirão, empate por 1 x 1, no jogo de volta vitória por 2 x 1 no Parque Antártica.

Fonte: Globoesporte.com

É composto por enorme equilíbrio o retrospecto de Internacional e Cruzeiro em duelos pelo Campeonato Brasileiro. Os adversários deste domingo, no Beira-Rio, já mediram forças 46 vezes pela principal competição do país. São 16 vitórias dos gaúchos, 16 dos mineiros e 14 empates. O Colorado marcou 56 gols, contra 58 da Raposa.

Na somatório de todos os campeonatos, são 64 partidas entre Inter e Cruzeiro. Aí a vantagem é vermelha. O time de Porto Alegre tem 25 vitórias, 21 derrotas e 18 empates, com 84 gols a favor e 81 contra.

No Beira-Rio, o Inter tem ampla vantagem pelo Brasileirão. Foram 22 partidas contra o Cruzeiro, com 13 vitórias, sete empates e apenas duas derrotas. Desde que o Brasileirão começou a ser disputado na fórmula de pontos corridos, o Inter venceu a Raposa cinco vezes em casa e teve uma igualdade. Nada de perder. E o mesmo vale para o Cruzeiro no Mineirão.

As duas equipes têm um histórico de grandes enfrentamentos. Em 1975, o Inter conquistou seu primeiro título nacional ao bater o Cruzeiro por 1 a 0 no Beira-Rio, com o histórico gol iluminado de Figueroa. O zagueiro chileno cabeceou a bola para a meta defendida por Raul no único ponto do campo atingido por um raio de sol.

No ano seguinte, os dois clubes voltaram a se encontrar, desta vez na Libertadores. No Mineirão, o Cruzeiro venceu por 5 a 4, em um dos melhores jogos já produzidos pelo futebol brasileiro. No Beira-Rio, nova vitória mineira, por 2 a 0. O Cruzeiro avançou na competição e foi campeão da América. Bateu o River Plate na final.

Fonte: Site Oficial

Em ascensão no Campeonato Brasileiro e vislumbrando uma vaga no G-4, o Cruzeiro chegou a seis partidas sem derrota, maior sequência invicta desde 2007. Naquele ano, o Campeão da Tríplice Coroa ficou imbatível por nove rodadas, conquistando sete vitórias e dois empates, um aproveitamento de 85,18%.

Essa sequência de bons resultados ajudou o time dirigido pelo técnico Dorival Júnior a alcançar a quinta posição do Brasileiro e disputar a Pré-Libertadores em 2008. Neste período, a partida da 16ª rodada contra o Flamengo foi adiada, devido aos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Em 2009, o time celeste já chegou à sexta partida sem derrota, com três vitórias e três empates, um aproveitamento de 66,66% dos pontos disputados. O Cruzeiro tem 29 pontos e está na 13ª posição, a oito pontos do São Paulo, que fecha a zona de classificação para a Copa Santander Libertadores, na quarta colocação.

Para ilustrar as dificuldades da principal competição do país, no ano passado, quando chegou em terceiro lugar, a equipe comandada por Adilson Batista teve como a maior sequência sem derrotas as primeiras cinco rodadas, tendo conquistado quatro vitórias e um empate, rendimento de 86,66%.

Com os últimos resultados positivos, o Cruzeiro é a equipe com a melhor campanha no returno do Campeonato Brasileiro, com sete pontos. São duas vitórias e um empate em três rodadas, e 77,77% dos pontos que estiveram em jogo.

Confira as séries invictas do Cruzeiro em 2007 e 2009

2007

25/07/2007 – Atlético-PR 2 x 2 Cruzeiro -14ª rodada – Arena da Baixada
29/07/2007 – Cruzeiro 3 x 2 Botafogo – 15ª rodada – Mineirão
05/08/2007 – Cruzeiro 3 x 2 Internacional – 17ª rodada – Mineirão
08/08/2007 – Cruzeiro 2 x 0 Sport – 18ª rodada – Mineirão
12/08/2007 – América-RN 1 x 2 Cruzeiro – 19ª rodada -Machadão
19/08/2007 – Cruzeiro 4 x 2 Fluminense – 20ª rodada – Mineirão
25/08/2007 – Corinthians 0 x 3 Cruzeiro – 21ª rodada – Pacaembu
29/08/2007 – Paraná 2 x 2 Cruzeiro – 22ª rodada – Durival de Brito
02/09/2007 – Cruzeiro 5 x 0 Palmeiras – 23ª rodada – Mineirão

2009

09/08/2009 Coritiba 1 x 3 Cruzeiro -18ª rodada do Campeonato Brasileiro – Couto Pereira
16/08/2009 – Cruzeiro 0 x 0 Santos – 19ª rodada do Campeonato Brasileiro – Mineirão
20/08/2009 – Flamengo 1 x 2 Cruzeiro – 20ª rodada do Campeonato Brasileiro – Maracanã
23/08/2009 – Cruzeiro 4 x 2 Náutico – 21ª rodada do Campeonato Brasileiro – Mineirão
27/08/2009 – Botafogo 1 x 1 Cruzeiro – 11ª rodada do Campeonato Brasileiro – Engenhão
30/08/2009 – Vitória-BA 3 x 3 Cruzeiro – 22ª rodada do Campeonato Brasileiro – Barradão

Fonte: Site Oficial

O Cruzeiro enfrenta o Santos no domingo, às 18h30, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro e busca ampliar a vantagem contra os paulistas em jogos realizados em Belo Horizonte. Num clássico com mais de 80 anos de história – o primeiro jogo foi um amistoso em 31 de março de 1929, o time celeste busca subir na tábua de classificação.

No Gigante da Pampulha, Cruzeiro e Santos disputaram 22 partidas desde 1965. Ao todo, foram dez vitórias celestes, sete empates e cinco vitórias. O ataque azul e branco marcou 42 gols e a defesa sofreu 28.

Cruzeiro e Santos também fizeram duelos importantes nas campanhas vitoriosas do time celeste na Taça Brasil de  1966 e Campeonato Brasileiro de 2003.

Na final da Taça Brasil, o Cruzeiro liderado por Tostão, Dirceu Lopes e Raul venceu o Santos de Pelé, duas vezes, na decisão. No primeiro jogo disputado no Mineirão, o time celeste aplicou uma goleada de 6 x 2. Já na partida no Pacaembu, em São Paulo, os cruzeirenses voltaram a vencer por 3 x 2.

Na campanha vitoriosa da Tríplice Coroa, em 2003, Cruzeiro e Santos disputaram o título desde as primeiras rodadas. E nos confrontos diretos o time celeste saiu vencedor.

As duas equipes se enfrentaram na oitava rodada do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro, e o Cruzeiro venceu por 2 x 0. Os gols foram marcados pelo colombiano Aristizábal.

Na 31ª rodada, Cruzeiro e Santos se enfrentaram no Mineirão. Com um novo show de Aristizábal, que marcou duas vezes, o Cruzeiro venceu por 3 x 0. O placar foi complementado por Felipe Melo, que hoje atua na Juventus, da Itália.

No ano passado, as duas equipes se enfrentaram no Mineirão pela terceira rodada do Brasileiro e o Cruzeiro goleou o adversário por 4 x 0. Os gols da Raposa foram marcados por Guilherme(2), Wagner e Maicosuel.

Siga-nos no Twitter

Anúncios