You are currently browsing the tag archive for the ‘torcida’ tag.

Procurando um enfeite que deixe sua casa, quarto ou escritório com a cara do Celeste?

A Flâmula do Cruzeiro é o acessório perfeito para quem é da Torcida Azul e Branca e não abre mão de expor seu amor.

Você poderá pendurá-la no ambiente que preferir e de quebra embelezar o local com as cores Cruzeirenses.

O acessório é feito em poliéster para ser bastante resistente, com dimensões de 24×35 cm, o produto é leve e cabe até em pequenos espaços.

Ah, o preço é bem bacana, por apenas R$39,90, você demonstra toda sua paixão pelo clube do seu coração.

Que tal garantir agora mesmo sua Flâmula Cruzeiro?

Anúncios

Que tal  reunir a galera e montar a sua torcida organizada?

Bacana a idéia, né?

Aproveite para vibrar e torcer à vontade nos dias de jogo do Celeste com este Kit Torcedor Cruzeiro.

Ele é composto por 1 bola, 1 corneta e 1 chaveiro e todos os itens são personalizados com as cores e o escudo da Raposa.

O local que você estiver será transformado em um cenário de muita diversão com sua torcida animada e confiante na vitória Cruzeirense.

Chame seus amigos e faça uma verdadeira festa!

Garanta aqui o Kit Torcedor Cruzeiro

O que acha de dar um toque Celeste na sua mesa do escritório?

A dica hoje é esta Bandeira de Mesa do Cruzeiro, um modelo perfeito para você mostrar o amor pelo clube!

A haste é confeccionada em madeira marrom, conferindo mais qualidade ao produto. Já a bandeira é feita em 100% poliéster, que é durável e fácil de limpar.

Garanta já a sua e enfeite seu ambiente preferido com a Bandeira de Mesa do Cruzeiro!

Fonte: Globoesporte.com

A derrota para o Vélez Sarsfield por 2 a 0, nesta quarta, não abalou a confiança do técnico Adilson Batista para uma boa campanha do Cruzeiro na Libertadores. E a aposta do treinador para a recuperação na competição internacional é a torcida. Por isso mesmo, ele já fez questão de convocar os cruzeirenses para o jogo contra o Colo Colo, no dia 24, às 21h50m, no Mineirão.

– Temos mais cinco jogos e vamos reverter, com a ajuda do nosso torcedor, com o bom ambiente que nós temos. Vamos ter um pouquinho de calma. Foi uma infelicidade e vamos reverter. Vamos tentar no jogo contra o Colo Colo, com 64 mil pessoas lá (no Mineirão) nos ajudando, empurrando, tentar reverter e encostar no Vélez. – afirmou o técnico.

Além do apoio da torcida, Adilson Batista espera que os jogadores tenham mais tranquilidade na próxima partida. As expulsões de Gilberto e Gil contra o Vélez dificultaram muito o trabalho da equipe em Buenos Aires.

– Mesmo tendo três anos de experiência consecutiva na Libertadores, precisamos de um pouquinho mais de calma, principalmente para terminar com os 11. Isso sempre foi alertado, é cobrado, é falado pela direção, multado. Mas temos de enaltecer o espírito guerreiro.

A torcida em 2010 vai ser grande, a expectativa para a nova temporada só cresce após a arrancada final do Cruzeiro neste ano, e para torcer pelo Zêro vai a nossa dica: a Bandeira Oficial do Cruzeiro.

Ela é perfeita para vibrar no estádio, em casa, no bar, na casa de amigos, onde for! Vá sempre enrolado na bandeira que mostra a sua paixão pelo Maior de Minas.

Toda em azul com o escudo gigante do nosso amado clube celeste, esta bandeira é realmente linda.

A bandeira tem dimensões de 1,3m por 90cm.

Compre aqui a sua Bandeira Oficial do Cruzeiro!

Fonte: Globoesporte.com

Como nos jogos contra Santo André e Fluminense, a diretoria do Cruzeiro resolveu manter os preços promocionais de ingressos para que o Mineirão receba um bom público contra o Grêmio, neste sábado, pelo Campeonato Brasileiro.

A entrada de geral, de R$ 10 foi para R$ 5. O bilhete de cadeira inferior, que chegava a custar R$ 25 nos dias das partidas, ficou em R$ 10. E os ingressos de cadeira superior, que variavam de R$ 25 a R$ 40, foram fixados em R$ 25. Apenas os bilhetes de cadeira especial ficaram ao custo de R$ 55, mesmo valor que os cruzeirenses pagavam nos dias de jogos na tabela antiga.

Empolgado com o comparecimento de mais de 50 mil torcedores no duelo contra o Fluminense, Zezé Perrella espera que o torcedor repita a dose contra o Grêmio.
– Temos feito um grande esforço nessa reta final de campeonato e a torcida proporcionou um espetáculo fantástico contra o Fluminense. No sábado, contra o Grêmio, espero mais de 50 mil torcedores nos ajudando a chegar ao G-4 – afirmou o dirigente, em entrevista ao site oficial do clube.

Em respeito aos torcedores que aderiram ao programa Sócio do Futebol e têm ajudado o clube pagando mensalidades, de acordo com o presidente do Cruzeiro, não foi possível reduzir os preços novamente. O esquema de venda antecipada para o jogo de sábado será definido em reunião na Federação Mineira de Futebol (FMF) nesta terça-feira.

Fonte: Site Oficial

No próximo mês, o Cruzeiro realizará a despedida do ídolo Sorín dos gramados e você, torcedor cruzeirense, poderá fazer parte desta festa.

Clique aqui e envie sua foto ao lado de Sorín. Sua foto fará parte de uma galeria especial no hot site Sorín Eterno.

O torcedor que enviar sua foto está ciente de que sua imagem é cedida gratuitamente e que nada lhe será devido, como direitos autorais e direitos de imagem, por parte do Cruzeiro Esporte Clube e Globo.com.

Fonte: Sie Oficial

Onde está a responsabilidade da PM?

Durante 40 anos, ouvimos a Polícia Militar de Minas Gerais dizer que, por uma questão de segurança, o Cruzeiro deveria ocupar sempre o vestiário à direita da tribuna de honra do Mineirão nos clássicos contra o Atlético-MG.

Nos últimos anos, infelizmente, o que vimos foi a violência crescer em Belo Horizonte em dia de grandes jogos, principalmente nas ruas da capital, até com vítimas fatais, enquanto dentro do estádio, as medidas adotadas foram certeiras.

Mas, a poucos jogos do fechamento do Mineirão para a reforma visando a Copa do Mundo de 2014 e a menos de uma semana do último clássico da temporada, a Polícia Militar, o Ministério Público e a Federação Mineira de Futebol surpreendem com uma decisão imprópria.

Aliás, decisão essa tomada em meio a incoerências e falta de sensatez, o que têm se tornando uma característica do comando da Polícia Militar de Minas Gerais.

Na partida contra o Palmeiras, sem nenhum aviso prévio, orientações para o torcedor e planejamento, a PM decidiu mudar todo o esquema de trânsito nos arredores do estádio para dar proteção a quatro ônibus de organizadas do Palmeiras. O que vimos naquela noite foi um completo caos nos acessos ao Mineirão, gerado por uma postura arbitrária de alguém que deveria ter a responsabilidade de dar tranquilidade à população.

Desta feita, em uma sequência de argumentos contraditórios, a Polícia Militar decide voltar atrás em uma decisão antiga para atender a um capricho.

Segundo o major Mauro Lúcio Alves, em entrevista à TV Alterosa, exibida nesta terça-feira, a simples mudança de túneis acarretará em uma série de problemas que a PM terá de lidar. “Há um risco maior para as pessoas, principalmente aquelas que não respeitam a integridade física alheia”, afirmou o major.

Ainda segundo Mauro Lúcio, entre várias medidas a serem tomadas, a PM não aceitará que os atletas reservas façam o aquecimento “debaixo da torcida oposta” porque estará colocando em risco a integridade dos presentes, isso sem contar no aumento do seu efetivo em cerca de 30%, com mais 120 homens sendo destacados para reforçar a segurança.

A esses absurdos se soma a diminuição na carga de ingressos, com três mil sendo retirados da venda para aumentar as áreas de isolamento atrás dos túneis.

Receoso pela própria decisão tomada, agora o comando da Polícia Militar vem a público pedir para que as pessoas não deem declarações que possam colocar em risco a vulnerabilidade do esquema que estão preparando para o clássico da próxima segunda-feira.

Ora, a população de Minas Gerais, que antes se sentia protegida por uma polícia que defendia a ordem nas ruas da capital contra bandidos, agora acompanha assustada a PM se sentir amedrontada com entrevistas de dirigentes de futebol.

O Cruzeiro Esporte Clube sempre foi defensor do cumprimento de todos os regulamentos das competições e entende ser legítima a reivindicação de nossos rivais, mas não posso concordar que, sem nenhuma preparação, sem a discussão e debate do problema, a Polícia Militar tome uma decisão precipitada como essa.

Parece que a paixão clubística de determinados homens da PM e da Federação Mineira de Futebol falou mais alto que a razão.

O estatuto do torcedor é claro em afirmar que é também responsabilidade dos clubes e seus presidentes a segurança e integridade dos torcedores nos estádios. Mas, diante de tão descabida e inapropriada decisão da Polícia Militar, Ministério Público e Federação Mineira de Futebol, quero dizer que vou me eximir e transferir a culpa por qualquer incidente para aqueles que avalizaram esse absurdo.

O Cruzeiro Esporte Clube nunca fez questão de ficar em qualquer dos vestiários por entender que partidas de futebol e títulos se vencem com competência. Prova maior é que o nosso rival também sempre ocupou o túnel da direita em todos os jogos, com exceção dos clássicos, e, mesmo assim, foi parar na segunda divisão.

Essa é uma derrota do torcedor que, sem dúvida alguma, estará correndo sérios riscos desnecessários.

Zezé Perrella

Presidente do Cruzeiro Esporte Clube

Fonte: Portal R7

O técnico Adilson Batista quer a ajuda da torcida para que o Cruzeiro vença os próximos três jogos do time no Campeonato Brasileiro. As partidas serão no Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

– Agora temos três jogos em casa, peço o apoio do torcedor e vamos tentar descontar essa diferença. A gente quer a quarta vaga (para a Copa Libertadores de 2010). Vamos ficar atentos e tentar algumas situações.

O Cruzeiro pega o Goiás (8), o Atlético-MG (12) e o  Botafogo (18) nos próximos jogos. Desses adversários, os dois primeiros são adversários diretos por uma das vagas à Copa Libertadores. Apenas os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro se classificam para a competição internacional no ano que vem.

O time mineiro está na 11ª posição, com 36 pontos. A equipe tem nove pontos a menos que o Goiás, quarto colocado e último na zona de classificação para a Libertadores.

Fonte: UOL Esporte

O atacante Kléber, que cogita a possibilidade de não continuar no Cruzeiro, por causa da perseguição por parte da torcida do clube, revelou que havia alertado os torcedores, que o procuraram para conversar na véspera do jogo com o Palmeiras, que se fosse vaiado, teria vontade de deixar o clube.

“Deixei muito claro na conversa que tive com os torcedores que se me vaiassem a minha vontade era de não permanecer no Cruzeiro e eu sou homem de palavra”, afirmou o Gladiador, em entrevista veiculada pela TV Alterosa. Essa conversa entre Kléber e integrantes da Máfia Azul, aconteceu na Toca da Raposa II, na última terça-feira.

“Hoje já não tenho mais vontade de permanecer no Cruzeiro, hoje jã não tenho a vontade que eu tinha antes”, salientou Kléber, que, no entanto, assegurou que não fará corpo mole e que continuará se empenhando nos jogos, embora sem fazer sacrifícios, pelo Cruzeiro, como jogar com dor.

“Vou entrar em campo e vou me dedicar ao máximo. Vou tentar vencer o jogo porque sou um cara profissional, sou pago pelo Cruzeiro, vou tentar me dedicar ao máximo. Acho que o Cruzeiro tem de entender, o Zezé (presidente do clube, Zezé Perrella) quer de mim isso, que eu entre em campo, jogue e faça o melhor pelo Cruzeiro”, ressaltou.

Kléber admitiu que não esperava ser vaiado, apesar do episódio de sua participação em festa da Mancha Verde, sábado passado, quando chegou a “brincar” de bola na quadra da maior torcida organizada do Palmeiras. Por isso, ele foi formalmente advertido pela diretoria do Cruzeiro.

“Eu fiquei tão surpreso como vocês (jornalistas), até porque a conversa que tive com os torcedores é que não teria vaias. Infelizmente, tiveram vaias. Não esperava acontecer o que aconteceu. Agora é pensar na minha vida, no futuro, em mim, deixar algumas coisas de lado”, observou.

Kléber admite que foi um pouco ingênuo nesse episódio da festa da Mancha Verde e afirma que desconhecia a inimizade entre a torcida palmeirense e a Máfia Azul. “Rivalidade para mim é Corinthians e Palmeiras, Atlético e Cruzeiro. Não tinha noção da rivalidade entre Mancha e Máfia”, disse.

“No dia em que conversei com o pessoal da torcida (Máfia Azul), eles me disseram que se eu tivesse ido à quadra da torcida do São Paulo não teria problema. Dá para entender então que os caras não estão preocupados com o Cruzeiro, é guerra de torcida”, frisou.

Kléber considera essa situação um problema para ele e para sua família, especialmente pelo fato de morar em Belo Horizonte. “Não tenho medo nenhum, mas não quero sair à rua e ser hostilizado, ser xingado, não só eu, mas meus pais quando vêm para cá”, refletiu o jogador.

Ele comenta que a situação poderia ser diferente se fosse mais “hipócrita e falso”. “Talvez não estivesse pagando por isso, a gente paga o preço por ser autêntico, de personalidade, que fala o que pensa e o que sente, então, a gente tem que pagar o preço”, observou.

Siga-nos no Twitter