You are currently browsing the tag archive for the ‘vitória’ tag.

Fonte: Site Oficial

Em uma rodada bastante emocionante, a última do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro venceu o Santos por 2 x 1, em pleno estádio da Vila Belmiro, se manteve invicto fora de casa no segundo turno da competição e conquistou a vaga para a primeira fase da Copa Libertadores da América, beneficiado pela deerrota do Palmeiras para o Botafogo.

Wellington Paulista abriu o marcador para a Raposa, Neymar empatou para o time da casa e o Gladiador Kleber, que entrou em campo no segundo tempo, decretou a vitória estrelada e assegurou a classificação celeste para a principal competição do continente, na primeira vez que encostou na bola.

O jogo começou bastante movimentado, com o Santos partindo mais para o ataque. Bem posicionado em campo, o Cruzeiro segurou as investidas iniciais do time da casa e, em uma jogada  muito bem trabalhada, marcou o gol, logo aos 4 minutos.

No lance, Marquinhos Paraná fez um ótimo e longo lançamento para Jonathan, que dominou a bola e tocou na medida para Wellington Paulista. O atacante chutou forte, de primeira, marcando um belo gol, o 14º dele no Campeonato Brasileiro deste ano. Cruzeiro 1 x 0.

Na sequência, o Santos perdeu a bola no ataque e o Cruzeiro, por pouco não ampliou, novamente com Wellington Paulista, em chute forte da entrada da érea, que Felipe colocou para escanteio.

O time paulista se mandou para a frente e, aos 15 minutos, quase levou o segundo, em mais uma finalização de Wellington Paulista, que chutou acima do gol de Felipe.

A partir daí, o Santos passou a exercer uma enorme pressão sobre o Cruzeiro, que se segurava como podia. Edu Dracena, de cabeça, e Paulo Henrique, de fora da área, tiveram chances e finalizaram para fora. Mas foi através de Kléber Pereira que o time da casa deu mais trabalho ao goleiro cruzeirense, no primeiro tempo. Fábio que segurou firme os dois chutes do atacante santista.

O panorama da partida se manteve na segunda etapa, com o Santos tentando empatar o jogo. Aos 7 minutos, o técnico Adilson Batista fez a primeira alteração na equipe celeste, colocando o zagueiro Cláudio Caçapa no lugar de Fernandinho.

O atacante André, que havia entrado no lugar de Kléber Pereira, no intervalo, recebeu passe e chutou forte, da intermediária, dando um enorme susto no goleiro Fábio, que só viu a bola sair à linha de fundo.

Com uma boa postura defensiva, o melhor time o Século XX passou a ter ainda mais dificuldades na partida já que, aos 15 minutos, Jonathan foi expulso. O técnico estrelado teve que mexer mais uma vez e colocou em campo o zagueiro Thiago Heleno no lugar do atacante Wellington Paulista.

Pouco tempo depois, o Botafogo fez 1 x 0 sobre o Palmeiras, deixando o Cruzeiro momentaneamente na quarta colocação e com a vaga na primeira fase da Copa Libertadores assegurada.

Mas, aos 25, Neymar aproveitou vacilo da zaga celeste, após cruzamento de Triguinho, e empatou a partida, em um chute forte, cruzado. Com o placar desfavorável, Adilson Batista fez a última mexida na equipe, colocando Kleber no lugar de Diego Renan.

A estrela do Gladiador brilhou rapidamente e, na primeira fez que ele tocou na bola, marcou um belo gol, colocando o Cruzeiro novamente com a mão na vaga da Libertadores, ainda mais porque o Botafogo tinha acabado de fazer 2 x 0 no Palmeiras.

O restante do jogo foi ainda mais emocionante, com o Santos cruzando bolas para a área celeste e chutando de onde conseguia. Mas a defesa estrelada conseguiu suportar o impeto do adversário e segurou o resultado, que deu ao time a vaga na Copa Libertadores.

Anúncios

Fonte: Globoesporte.com

O empate por 1 a 1 com o Grêmio e a consequente queda da quinta para a sexta posição, por conta da vitória do Internacional sobre o Santos, não deixam outra alternativa para o Cruzeiro. O objetivo do time celeste – cuja pretensão é assegurar um posto no G-4 – é vencer os três jogos restantes, a começar pelo próximo, sábado, contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

– Vamos tentar vencer os três jogos para buscar essa vaga, mas temos de pensar por partes, primeiramente no Atlético-PR. Será um jogo difícil. Respeito o Antônio Lopes (técnico do Furacão), é um treinador que arma bem os times que comanda. Comecei lá (no Atlético-PR)… É uma torcida fanática, que faz muita pressão dentro da Arena, mas o Cruzeiro tem capacidade de ir lá e vencer o jogo – afirmou o técnico Adilson Batista.

O volante Fabrício repetiu o discurso do comandante e falou sobre as dificuldades que aguardam o Cruzeiro na Arena.

– É difícil jogar lá na Arena. É um campo rápido, o time deles é rápido e marca forte. O Lopes é um grande treinador, já trabalhei com ele – disse Fabrício.

Dois dos três jogos restantes do Cruzeiro serão fora de Belo Horizonte: sábado, contra o Atlético-PR, e dia 6 de dezembro, contra o Santos. Entre esses dois jogos, há o confronto contra o Coritiba, no dia 29, no Mineirão.

O dado positivo é que o time celeste não perde como visitante há mais de três meses, ou nove jogos. A última derrota foi no dia 2 de agosto: 4 a 1 para o Grêmio, no Olímpico. Desde então, foram seis vitórias celestes e três empates.

Fonte: Site Oficial

Em um jogo bastante emocionante, o Cruzeiro mostrou novamente seu poder de reação e venceu o Sport por 3 x 2, de virada, na noite deste sábado, na Ilha do Retiro, em Recife, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Foi mais um triunfo sensacional da Raposa como visitante, o oitavo jogando fora do Mineirão, especialmente pelo fato de o time estar perdendo de 2 x 0 e conseguir a virada, que o deixa na quarta colocação da competição, dentro da zona de classificação à Libertadores.

Thiago Ribeiro, Leonardo Silva e Guerrón marcaram os gols do Cruzeiro, que pode ser superado por Flamengo e Internacional na classificação. As duas equipes jogam neste domingo, o Flamengo contra o Atlético-MG e o Internacional diante do Barueri.

O Cruzeiro, que volta a campo no próximo sábado, contra o Grêmio, no Mineirão, começou bem no jogo e partiu para cima do time da casa desde o início da partida. Logo aos 2 minutos, quase abriu o marcador, com Diego Renan, que chutou forte, de fora da área, e Magrão colocou para escanteio.

Já o Sport explorava os contra-ataques e chegava com perigo, mas esbarrou em defesas de Fábio e uma boa intervenção de Fabrício.

Dominando amplamente as ações, a Raposa ainda teve uma boa chance de abrir o marcador, através de Wellington Paulista, após cruzamento de Diego Renan, mas o atacante celeste foi travado pelo zagueiro César e chutou desequilibrado.

Na seqüência, aos 12 minutos, Arce comandou um contra-ataque e cruzou na medida para Wilson marcar, sem chance alguma para Fábio. O Cruzeiro sentiu o golpe e, quatro minutos depois, levou o segundo gol, novamente com Wilson, após lançamento na medida de Adriano Pimenta.

Com o placar desfavorável, o Cruzeiro soube manter a calma e diminuiu o marcador, aos 20 minutos, em um chute forte de Thiago Ribeiro, depois de cobrança de falta de Fabrício.

O gol incendiou o time mineiro que, a partir desse lance, voltou a comandar a partida e passou a sufocar o Sport em sua defesa. Ainda no primeiro tempo, Jonathan, Gilberto, Henrique e Wellington Paulista finalizaram com perigo e poderiam ter empatado.

No segundo tempo, a pressão celeste aumentou ainda mais até que, aos 7 minutos, em cobrança de falta, Gilberto colocou a bola na medida para Leonardo Silva marcar, de cabeça.

Pouco tempo depois, o volante Andrade, que já havia levado cartão amarelo, foi novamente advertido, desta vez por uma falta em Jonathan, e acabou expulso da partida, deixando o Sport com um jogador a menos em campo.

Adilson Batista logo mexeu no Cruzeiro, colocando o equatoriano Guerrón no lugar de Diego Renan, para aproveitar a superioridade numérica da equipe mineira.

A virada da Raposa era questão de tempo e finalmente aconteceu, aos 20 minutos. Wellington Paulista recebeu lançamento e cruzou para Guerrón, dentro da pequena área, virar o marcador. Cruzeiro bonito na frente, 3 x 2.

A partir daí, o bicampeão mineiro passou a tocar mais a bola e conseguiu evitar as investidas do Sport, que acabou sofrendo a derrota, que o deixa na lanterna e ainda mais próximo do rebaixamento à segunda divisão.

Fonte: Site Oficial

Em noite de muita festa e confraternização no Mineirão, o ídolo celeste Sorín disputou nesta quarta-feira o último jogo da vitoriosa carreira. O Cruzeiro venceu o Argentinos Juniors, por 2 x 1, em jogo amistoso presenciado por mais de 42 mil cruzeirenses que lhe prestaram uma justa homenagem no Mineirão.

O resultado era o que menos importava. Todos estavam ali para participar, cada um à sua maneira, da despedida do ídolo celeste. E também registrar o momento. Como o goleiro argentino Peric, que guardou uma câmera fotográfica dentro do gol e não se furtou em tirar algumas fotos do jogo nos momentos em o Argentinos Juniors atacava.

Mesmo sem treinar a sério há mais de três meses, Sorín mostrou a habitual gana. Correu o quanto pôde, percorreu a ala esquerda e invadiu a área como nos bons tempos, muito disposto a encerrar a carreira com um gol marcado. E era o que todos queriam.

O primeiro toque dele na bola, a 1 min, foi muito aplaudido. O clima era de amistoso, mas o Cruzeiro atacava em busca do gol. Como aos 17 min, quando Fernandinho acertou a trave esquerda em bela cobrança de falta.

O Cruzeiro entrou em campo com a formação principal, que começou a ser desfeita aos 25 min, quando Adilson Batista efetuou as primeiras substituições. Todos os 23 atletas relacionados entraram em campo e participaram da festa.

O placar não foi alterado na primeira etapa, mas a torcida comemorou como um gol a bola perdida que Sorín salvou com um carrinho na linha de fundo. O lateral cruzou, mas Wellington Paulista não alcançou a bola na tentativa de bicicleta.

Sorín teve boa chance para marcar aos 43 min. Fernandinho fez grande lançamento para o camisa 6, que invadiu a área, matou no peito, mas chutou muito alto, com o pé direito.

Na volta para o segundo tempo, a surpresa. Sorín entrou em campo com a camisa branca do Argentinos Juniors, número três e seu nome grafado às costas. Mas o uniforme celeste estava por baixo e Sorín só seria adversário por cerca de dez minutos, uma forma de agradecimento ao clube que o revelou para o futebol.

Os momentos em que Sorín defendeu o Argentinos Juniors foram os mais discretos de sua participação. Ele abdicou de atacar e ficou quase como um terceiro zagueiro.

Foi quando o Cruzeiro abriu o placar. Aos 7 min, Bernardo arrancou da intermediária, invadiu a área e encobriu o goleiro. De pronto, correu para abraçar o “adversário” Sorín.

Não demorou e o ídolo tirou a camisa branca e voltou a vestir azul. Já cansado, Sorín se fixou no campo de ataque, à espera de uma oportunidade de marcar.

O segundo tento saiu aos 20 min. Guerrón avançou pelo lado direito, ultrapassou os defensores, driblou o goleiro e chutou. Mais um bonito gol no Mineirão.

A última boa ocasião do argentino foi aos 37 min. Ele recebeu de costas na área, matou no peito, e tentou de “puxeta”. Mas a bola foi para fora.

Antes do apito final. Santibañez chutou de fora da área. A bola desviou e saiu do alcance de Rafael e entrou na meta celeste. O Argentinos Juniors também comemorou um gol.

O apito final soou e o gol não veio. Não importa. O que ficará na memória dos torcedores é que Sorín honrou a camisa celeste por 127 vezes, marcou 18 gols e tornou-se um ídolo inesquecível. O último ato da noite foi com a camisa 3 da seleção argentina vestida ao contrário e uma enorme bandeira com sua imagem, em merecida volta olímpica no Mineirão.

Fonte: Site Oficial

A vitória por 3 x 2 sobre o Santo André, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, deixou o Cruzeiro muito perto da zona de classificação para a Copa Santader Libertadores de 2010. Com os resultados positivos, o Cruzeiro soma 51 pontos e está a um do almejado G-4, atualmente encerrado pelo Internacional, com 52.

Depois de bater Goiás (3 x 0), Atlético-MG (1 x 0), Botafogo (1 x 0), Corinthians (1 x 0) e Santo André (3 x 2) o time celeste subiu da 11ª para a quinta posição.

O triunfo sobre o Santo André fez com que o Cruzeiro se isolasse ainda mais como o líder do returno. A campanha na segunda metade do Brasileiro é de nove vitórias, dois empates e apenas duas derrotas, aproveitamento de 74,35%.

O lateral-esquerdo Gilberto, que vem sendo utilizado no meio de campo, foi um dos grandes destaques do Cruzeiro na vitória sobre o Santo André. O camisa 10 ressaltou o empenho do elenco celeste, que virou o jogo ao 46 minutos do segundo tempo.

“Hoje (quarta-feira) a equipe mostrou muita determinação e mostrou a sua força, porque sabíamos que seria um jogo difícil. Em nenhum momento menosprezamos o Santo André e fomos premiados com a vitória”, destacou.

O experiente jogador de 33 anos afirmou que a partida desta quarta-feira foi a mais emocionante desde que ele voltou à Toca da Raposa, em agosto deste ano.

“Acho que foi o jogo mais dramático desde que eu voltei ao Cruzeiro. O Santo André veio determinado a conseguir um resultado positivo, conseguiu a virada. Mas a equipe, com muito empenho e humildade, porque precisávamos do resultado, buscou e conseguiu a vitória. Agora, temos que pensar em vencer o Fluminense”, disse.

Com a sequência de resultados positivos, o Cruzeiro está a apenas quatro pontos do São Paulo, atual líder do Brasileirão com 55 pontos. Nesta quinta-feira, o Palmeiras enfrenta o Goiás, no Parque Antártica, na capital paulista e poderá retomar a primeira posição.

No próximo domingo, às 18h 30, o Cruzeiro encara o Fluminense, no Mineirão, e buscará mais três pontos para chegar ao G-4.

Fonte: Site Oficial

O Cruzeiro lutou muito, foi valente, e venceu o Corinthians, por 1 x 0, na noite deste domingo, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. O quarto triunfo seguido mantém o time celeste vivo na disputa por uma vaga na Copa Santander Libertadores 2010.

O resultado leva o Cruzeiro ao sexto lugar, com 48 pontos ganhos, e mantém a distância de quatro para o São Paulo, que fecha o G-4 do Campeonato Brasileiro, com 52.

O Cruzeiro soube suportar a pressão do Corinthians nos 15 minutos inicias de jogo e cresceu aos poucos, até conquistar terreno e igualar as ações.

O gol da vitória foi marcado pelo camisa 10 Gilberto, aos 40 min da primeira etapa. O volante Marquinhos Paraná encontrou Fabrício na direita, o camisa 5 cruzou rasteiro e Gilberto apareceu na pequena área, atrás da defesa, para fazer 1 x 0.

Para o segundo tempo, Adilson Batista lançou o lateral-esquerdo Fernandinho na vaga do atacante Guerrón, para conter as investidas do lateral-direito Alessandro. O time celeste se segurou como pôde frente à investida do adversário rumo ao gol de empate.

Fábio fez grande defesa aos 10 min, depois que Dentinho lançou Ronaldo, que escorou de cabeça. Da pequena área, Jorge Henrique cabeceou e não passou pela muralha azul. Aos 22 min, foi a vez de o meia-atacante Leandro Lima substituir o cansado Gilberto.

O jogo ganhou contornos dramáticos aos 29 min, quando Fernandinho discutiu com Elias e uma confusão se formou em campo. Como resultado, Fernandinho recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Para completar, Diego Renan teve o tornozelo direito atingido por duas vezes e foi substituído pelo volante Elicarlos aos 37 min.

Com um homem a menos, os comandados de Adilson Batista mostraram muita fibra para segurar a vantagem até o apito final do carioca Péricles Bassols.

Fonte: Site Oficial

Com um gol salvador de Thiago Ribeiro, o Cruzeiro venceu o Botafogo por 1 x 0, na noite deste domingo, no Mineirão, conquistou seu terceiro triunfo seguido no Campeonato Mineiro e manteve a sétima colocação da competição nacional, a apenas quatro pontos da zona de classificação à Libertadores.

O time de melhor campanha no segundo turno volta a campo no próximo domingo, contra o Corinthians, em São Paulo, enquanto a equipe carioca disputará o clássico contra o Flamengo, no mesmo dia, mas antes, na quarta-feira, encara o Cerro Porteño, em Assunção, pelas quartas-de-final da Copa Sul-Americana.

Embalado na competição e com quatro jogos de invencibilidade, o Cruzeiro buscou o ataque desde o início da partida enquanto o adversário, bem fechado atrás, procurava os espaços celestes para tentar surpreender o atual bicampeão mineiro.

Com a defesa botafoguense congestionada, a Raposa apostava nos chutes de longa distância e nos cruzamentos para a área. Mas o goleiro Jefferson estava inspirado e salvou o Botafogo seguidas vezes, a primeira delas em um chute forte do lateral-esquerdo Diego Renan.

Depois, foi a vez dele segurar uma finalização de Leandro Lima, após o meia-atacante desviar cruzamento de Diego Renan. Ainda no primeiro tempo, Jefferson defendeu um chute de Guerrón e, em duas ocasiões, saiu muito bem do gol, nos pés de Thiago Ribeiro, evitando as finalizações do atacante celeste.

O Botafogo, jogando nos contra-ataques, demorou, mas quando chegou próximo do gol do Cruzeiro, deu muito trabalho ao arqueiro estrelado, como em dois chutes de Victor Simões, nos minutos finais da primeira etapa.

Apesar de os dois times terem voltado para o segundo tempo com as mesmas escalações, o jogo ficou bem diferente, mais disputado no meio-de-campo. Aos 7 minutos, Leandro Lima recebeu a bola e chutou de primeira, para fora.

Em seguida, o técnico Adilson Batista mexeu na equipe e colocou Fernandinho, que voltou a jogar depois de sete meses ausente por causa de uma cirurgia no joelho esquerdo, e Soares nos lugares de Leandro Lima e Guerrón.

As alterações tiveram resultado imediato e, aos 17 minutos, o Cruzeiro finalmente abriu o marcador. Jonathan lançou Thiago Ribeiro, que passou pela zaga do Botafogo e chutou firme, na saída de Jefferson. Cruzeiro 1 x 0.

Atrás no marcador e com a possibilidade de voltar à zona de rebaixamento, o Botafogo se mandou para o ataque e quase empatou, dois minutos depois, em um chute de André Lima, que Fábio defendeu bem.

O técnico Adilson Batista fez a última alteração, substituindo Henrique por Fabinho, para dar sangue novo ao meio-de-campo. Mas, aos 32, Soares levou uma pancada na cabeça e teve que sair de campo, deixando o Cruzeiro com um jogador a menos, já que o treinador celeste havia feito as três substituições.

A pressão do Botafogo aumentou ainda mais, o time carioca teve chance de empatar, mas não conseguiu ultrapassar o goleiro Fábio, que, nos instantes finais, fez duas importantes defesas, principalmente em um chute de Rodrigo Dantas.

Fonte: Gazeta Press

Há duas semanas, o técnico do Cruzeiro, Adílson Batista, afirmou que o objetivo era vencer os três jogos seguidos no Mineirão para se aproximar dos líderes. Ao vencer o Goiás por 3 a 0 e o Atlético-MG por 1 a 0, o clube chegou ao sétimo lugar. Entretanto, para completar a missão, o time terá que superar um jejum, já que, no atual Campeonato Brasileiro, ainda não conseguiu três vitórias consecutivas.

“Era nossa meta conseguir essas três vitórias. Temos que fazer prevalecer o mando de campo mais uma vez, até porque depois temos um jogo duro contra o Corinthians, no Pacaembu”, afirmou o atacante Thiago Ribeiro.

No primeiro turno, o clube esteve perto das três vitórias consecutivas, mas foi “barrado” exatamente pelo Botafogo. Depois de vencer o Flamengo, no Maracanã, e o Náutico, no Mineirão, o Cruzeiro acabou empatando com os cariocas no Engenhão.

Caso consiga a vitória sobre o Botafogo, dependendo dos demais resultados da rodada (derrota do Galo para o São Paulo e empate entre Goiás e Avaí), o Cruzeiro pode ficar a apenas dois pontos do G-4.

Fonte: Globoesporte.com

Quando o primeiro turno acabou, o Cruzeiro estava a dez posições e 11 pontos de distância do G-4. Dez rodadas depois, e a desvantagem para o quarto lugar caiu para três colocações e apenas cinco pontos. Depois da vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG, a confiança na Raposa está em alta e o sonho de uma vaga na Libertadores cada vez mais vivo.

– A gente vem conversado muito sobre isso, o Adilson vem mostrando sempre a tabela. Dá muita moral vencer o clássico e contar com o apoio da torcida. A gente vai motivado para o jogo contra o Botafogo e para a briga pela Libertadores. – afirmou o volante Fabrício.

Para diminuir ainda mais a distância, o Cruzeiro precisa continuar vencendo – já são quatro partidas de invencibilidade, com três vitórias. E ainda torcer para os outros resultados continuarem ajudando. No próximo domingo, o time celeste faz o terceiro jogo seguido no Mineirão, contra o Botafogo.

– Sabemos que podemos chegar ao G-4 e demos mais um passo. Temos agora mais um jogo importante contra o Botafogo e esperamos jogar como foi no clássico – disse o lateral Jonathan.

Fonte: Site Oficial

O time celeste mostrou força, lutou o tempo todo e garantiu a vitória por 1 x 0 sobre o Atlético-MG, na tarde desta segunda-feira, resultado decisivo para as pretensões do Cruzeiro de disputar a Copa Santander Libertadores em 2010. A distância da zona de classificação caiu para cinco pontos, a serem retirados em nove rodadas.

O Cruzeiro tem agora 42 pontos ganhos, salta da 11ª para a sétima colocação e entra de vez na briga por uma das quatro vagas. Ao final da 29ª rodada, o Atlético-MG fecha o G-4 com 47 pontos.

O Cruzeiro teve apenas uma alteração em relação ao time que venceu o Goiás na quinta-feira. o volante Fabrício retornou de suspensão e ocupou a vaga de Elicarlos no meio-campo. O camisa 10 Gilberto recuperou-se de inflamação no tendão de Aquiles do pé direito e foi a campo. O meia-atacante Leandro Lima ficou no banco de reservas.

Já o rival contou com o retorno do atacante Éder Luís, recuperado de corte no tornozelo esquerdo. O zagueiro Benítez substituiu o suspenso Jorge Luiz formou dupla com Werley.

O gol da vitória por marcado logo aos 11 min do primeiro tempo, pelo atacante Wellington Paulusta. A defesa celeste teve muita competência e garantiu o 1 x 0 até o final.

O time celeste terá seis dias até o terceiro jogo consecutivo no Mineirão. O Cruzeiro enfrentará o Botafogo, no próximo domingo, a partir das 18h 30.

O jogo

Os rivais fizeram um primeiro tempo movimentado e com boas alternativas no Mineirão. O Cruzeiro foi mais objetivo e finalizou seis vezes, duas delas com correção. Já o Atlético-MG chutou quatro vezes a gol, três delas no rumo do gol defendido por Fábio. A primeira etapa teve 17 infrações, dez delas cometidas pelo time celeste.

O time celeste começou melhor e mostrou que queria sair na frente. O gol poderia ter saído logo aos 5 min, quando o volante Henrique cruzou da intermediária e o atacante Thiago Ribeiro se antecipou ao goleiro Carini, mas cabeceou para fora.

Mas estava desenhado que o jogo aéreo poderia ser um grande arma para o Cruzeiro e assim saiu o 1 x 0. Aos 11 min, Thiago Ribeiro avançou pela direita e acertou belo cruzamento, na medida para Wellington Paulista cabecear, sozinho, no canto direito.

O gol premiou o bom futebol mostrado pelo Cruzeiro nos minutos iniciais. O time celeste manteve a posse de bola e não teve a meta ameaçada. O Atlético-MG só foi finalizar aos 12 min, quando o atacante Renteria chutou fraco, da entrada da área e Fábio defendeu.

A partir daí, o jogo ficou mais equilibrado. A defensiva celeste passou a ter mais trabalho e protegeu com muita eficiência a grande área, sem dar espaço a finalizações.

Aos 37 min, Adilson Batista foi obrigado a mexer na equipe. Wellington Paulista, que recebera atendimento médico aos 22 min, deixou o campo com uma pancada na panturrilha direita. O equatoriano Guerrón entrou e logo recebeu passe de Gilberto pela direita, acreditou no lance e chutou sem ângulo. Carini defendeu com o pé.

Fábio só foi ter mais trabalho nos minutos finais. Aos 41 min, o lateral-esquerdo Thiago Feltri arriscou de muito longe e o camisa 1 caiu para defender em dois tempos. Aos 46 min, o volante Carlos Alberto chutou forte e o arqueiro celeste espalmou.

O Cruzeiro voltou do intervalo com o volante Elicarlos no lugar de Gilberto. Sem alterações, o Atlético-MG foi para o ataque em busca do gol de empate. A pressão foi grande nos minutos iniciais a novamente a defesa celeste saiu-se bem. Em lance perigoso, Thiago Feltri arrematou firme de dentro da área e Fábio mandou a escanteio.

Aos 14 min, Adilson Batista fez a terceira substituição. O meia-atacante Leandro Lima foi para o jogo, na vaga de Thiago Ribeiro. O novato passou a formar dupla com Guerrón.

O panorama da partida não mudou muito e o Cruzeiro lutou com muita garra para manter a vantagem. Fábio voltou a aparecer bem em cobrança de falta perigosa de Correa, da intermediária, aos 25 min. A certa altura, o time abdicou de atacar e tocou a bola para fazer o tempo passar, estratégia que surtiu resultado e esfriou o jogo nos minutos finais.

Siga-nos no Twitter